domingo, 21 de julho de 2013

O acervo documental da Aldraba (8) - Doçaria e gastronomia


Passando a duas entradas afins, que integram os grupos “Práticas do património” e “Referências culturais”, reproduzimos hoje as indicações dos respetivos artigos publicados até ao presente na revista “ALDRABA”:


DOÇARIA E GASTRONOMIA

Carlos Cunha, “Pastel de feijão de Torres Vedras”, in “ALDRABA”, nº 3 (Jun.2007), p.18


José Manuel Prista, “A ASAE e os sabores”, in “ALDRABA”, nº 5 (Jul.2008), p.19


Luís Afonso, “ASAE”, in “ALDRABA”, nº 5 (Jul.2008), verso da capa


Luís Afonso, “Dinheiros públicos”, in “ALDRABA”, nº 8 (Dez.2009), verso da capa


Luís Reis Ágoas, “A caneja de infundice na Ericeira”, in “ALDRABA”, nº 12 (Out.2012), p.15


Manuel Mamede Pereira, “Ser alfacinha”, in “ALDRABA”, nº 13 (Abr.2013), p.15


Margarida Alves, “Queijadas de Sintra”, in “ALDRABA”, nº 7 (Jul.2009), p.15


Nuno Roque Silveira, “Grandes artistas do efémero”, in “ALDRABA”, nº 8 (Dez.2009), p.17


Vanda Oliveira, “Os fofos de Belas”, in “ALDRABA”, nº 6 (Dez.2008), p.9


Como sempre, quem pretenda aceder a alguns destes textos e se manifeste em comentário ao presente post, ou por e-mail para aldraba@gmail.com, receberá uma cópia digitalizada do artigo ou artigos que assinalar.

JAF
(foto reproduzida de http://www.docesregionais.com/a-docaria-conventual-portuguesa)

2 comentários:

  1. CONVITE
    Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
    Eu também tenho um, só que muito simples.
    Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
    Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
    Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
    E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
    Força, Paz, Amizade e Alegria
    Para você, um abraço do Brasil.
    www.josemariacosta.com

    ResponderEliminar
  2. É possível aceder a todos os textos?

    Fernando Miguel

    ResponderEliminar