quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

"Tradição e sabedoria": Salvo pelo gong














Significado: Conseguir realizar uma tarefa no último minuto.

Origem: Na Inglaterra os caixões eram reutilizados. Às vezes percebia-se que havia arranhões nas tampas, o que indicava que aquele morto havia sido enterrado vivo. Surgiu a ideia de, ao fechar os caixões, colocar uma tira no pulso do defunto, que ficava amarrada num sino. Se acordasse, o movimento do braço faria o sino tocar. Assim, ele seria salvo pelo gong.


Cafés Chave d’Ouro







quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Assembleia Geral anual e eleições para 2019/2020


















No dia 15 de fevereiro de 2019, a ALDRABA vai realizar na sede do GDE "Os Combatentes" a sua Assembleia Geral ordinária de 2019 (relatório e contas de 2018, e plano de atividades e orçamento de 2019) e as eleições dos órgãos sociais para o período 2019/2020.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral, João Coelho, publicitou as convocatórias desses dois atos, bem como um esclarecimento sobre o voto por correspondência nas eleições, enviados a todos os associados por correio eletrónico de 15.1.2019.

A Direção apela à participação dos associados nestes dois momentos, condição necessária para a continuidade da ALDRABA e do seu trabalho.

JAF

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

"Tradição e sabedoria": Queimar as pestanas


















Significado: Estudar muito.

Origem: Aqueles que estudavam antes da existência da eletricidade, estudavam à luz de velas ou lamparinas e, para que pudessem ler convenientemente, tinham de as colocar muito perto do texto, correndo sério riscos de ficar com as pestanas queimadas.


Cafés Chave d’Ouro


"Post-scriptum"
Votos de um ano de 2019 a "queimar as pestanas", com uma leitura crítica de todos os sinais da realidade à nossa volta que interessam para um futuro de progresso.

JAF

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

O património popular português e o Natal

















Na tradição popular portuguesa, o momento das comemorações cristãs do Natal é um período por excelência para a evocação dos sentimentos mais positivos da fraternidade, do afeto, do reencontro familiar, da reconciliação, da paz.

As raízes religiosas da data são anteriores ao próprio cristianismo, relacionadas com a divindade solar e com o solstício do Inverno, que a Igreja procurou neutralizar com a celebração do nascimento de Jesus Cristo.

Contudo, na perspetiva da cultura popular, como sempre, o que importa é aquilo de que as coletividades se apropriam, geralmente à margem dos ritos e das liturgias dominantes.

Em Portugal e no resto do chamado Ocidente, a liturgia dominante é predominantemente a do consumismo cego e esmagador. Não é isso que interessa à Aldraba...

No passado dia 15 de dezembro, reunimos quase 20 associados e amigos no nosso 26º Jantar-Tertúlia, na A.M.Bairro das Amendoeiras, em Marvila. Os quais, em ameno e caloroso convívio com os anfitriões da AMBA, partilharam de forma muito animada o espírito que caracteriza a nossa Associação.

Isto depois de, na tarde do mesmo dia, termos feito a nossa 9ª visita a espaços de interesse para o património popular, neste caso ao notável Museu Nacional do Azulejo.

Uma excelente quadra festiva para todos os nossos amigos!

JAF


domingo, 9 de dezembro de 2018

26º Jantar-Tertúlia, na Associação de Moradores do Bairro das Amendoeiras (Marvila, Lisboa), dia 15dez2018










Dando continuidade à prática de há muitos anos, vamos realizar mais um jantar-tertúlia na época natalícia, proporcionando uma oportunidade de convívio entre os nossos associados, familiares e amigos.

Este ano, após a tarde do mesmo dia em que se realiza a nossa visita ao Museu dos Azulejos, na Madre de Deus, iremos ao encontro ali na zona com a Associação de Moradores do Bairro das Amendoeiras (AMBA), em Chelas, a partir das 19h30.

Trata-se de uma jovem associação local, criada em 2006 (um ano depois da criação da ALDRABA...).

Tem a sua sede na Rua Luís Pacheco, loja 5, junto à gare do Metro de Chelas e da esquadra da PSP, não muito longe da estação de recolha da Carris.

Os nossos amigos Presidente e Vice-Presidente da AMBA, Manuel Saraiva e Mafalda Correia, vão acolher-nos num jantar de convívio, em que a refeição inclui sopa de feijão com legumes, prato de vitela assada com couves de Bruxelas e arroz, bebidas, sobremesa e café, tudo pelo preço unitário de 12€.

Falaremos entretanto sobre as atividades culturais e recreativas desenvolvidas na zona.

Os participantes no jantar devem manifestar-se até 5ªfeira, dia 13.12, junto do José Alberto Franco (jaffranco@gmail.com, TM 963708481), da MªEugénia Gomes (megomes2006@gmail.com, TM 964445270), ou da associação Aldraba (aldraba@gmail.com).

JAF.






Visita ao Museu do Azulejo, em Lisboa, no dia 15dez2018, às 15horas









Nesta 9ª visita a espaços de interesse para o património popular, vamos levar a efeito, na tarde do próximo sábado 15 de dezembro, a partir das 15 horas, uma visita guiada ao Museu Nacional do Azulejo. 

O Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, é um dos mais importantes museus de Portugal, pela sua coleção singular, dedicada ao azulejo, expressão artística diferenciadora da cultura portuguesa, e pelo edifício ímpar em que se encontra instalado, o antigo Convento da Madre de Deus, fundado em 1509 pela rainha D. Leonor. Fica situado na Rua da Madre de Deus, 4, em Lisboa.

Seremos acompanhados pela guia Lina Lopes, pessoa de elevada competência e dedicação à atividade do Museu.

A entrada dos nossos participantes na visita será gratuita.

Todos os associados e amigos são convidados a comparecerem, e a trazerem outros amigos também nesta visita.

JAF






sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Ecos do lançamento do nº 24 da revista ALDRABA

















Graças a Jacqueline Aragão temos uma breve reportagem fotográfica da apresentação da revista 24 da Aldraba, com uma intervenção de Santiago Macias, tão dinâmica, que originou muitas intervenções da assistência. 

O Professor destacou a longevidade e regularidade da revista e sublinhou a importância da fixação da memória e a atenção dada às coisas supostamente pouco importantes, num contexto de diversidade dos patrimónios, abordados na revista da Aldraba.

"O ritmo certo implica esforço e muita disciplina de quem coordena" - afirmou. 

E acrescentou ainda: "Afastámo-nos do mundo rural", citando Barceló: "O poder não quer saber dos camponeses!"


Comentário de uma amiga da Associação que assistiu de novo a um lançamento da revista: "O Santiago motivou as pessoas a lerem e não foi exaustivo!"


LFM (fotos de Jacqueline Aragão)