terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Assembleia Geral aprecia Plano 2008


Conforme convocatória enviada por correio pelo Presidente da Assembleia Geral, realiza-se na 5ªfeira, dia 20 de Dezembro, na sede de “Os Combatentes” (R.Possolo,7-Lisboa), a Assembleia ordinária de discussão e votação dos nossos projectos e dos meios financeiros para o próximo ano.

Renovando o convite e o estímulo para que compareçam e participem de forma crítica, aqui se reproduz o projecto de Plano de Actividades que a Direcção adoptou para o efeito:

PLANO DE ACTIVIDADES PARA 2008

A ALDRABA tem continuado a conseguir, nestes seus três anos de vida, uma rica experiência de reflexão e de envolvimento de pessoas que carece de ser sustentada e aprofundada.

Propomos assim, para 2008, o seguinte Plano de Actividades:

1. Realizar três encontros temáticos, em datas que se venham a revelar propícias, com instituições nossas parceiras (a título de exemplo, poderemos apontar para abordagens em torno de elementos do património popular de Vila Viçosa, de Alcoutim, de Alhandra e de Coimbra).
2. Continuar a iniciativa dos jantares/tertúlias em casas regionais sedeadas em Lisboa.
3. Dar corpo a novas exposições sobre temas do património em que existam associados interessados e disponíveis para colaborar na sua preparação.
4. Prosseguir as parcerias iniciadas com diversas associações e autarquias, promovendo iniciativas conjuntas e suscitando protocolos de cooperação nos casos em que a interacção possa ter um carácter mais continuado.
5. Manter a ligação ao Arraial do 25 de Abril em Lisboa, e a certames de base popular regional.
6. Alimentar o blogue “A Aldraba”, fomentando o debate alargado de ideias, e manter actualizada a informação institucional no site “Aldraba Digital”.
7. Continuar a publicar a Revista “Aldraba” com periodicidade semestral.
8. Assegurar uma edição anual dos Cadernos Temáticos.
9. Reforçar a organização interna da Associação.
10. Cooperar com iniciativas exteriores nos domínios da cidadania e da memória e na evocação ou comemoração de personalidades ligadas ao património.

Lisboa, 5 de Dezembro de 2007
A DIRECÇÃO

sábado, 8 de dezembro de 2007

A Aldraba no Fundão






Na semana passada fomos conhecer duas das aldeias do xisto, o novel Museu do Fundão, partilhar conhecimentos com gente ligada ao património beirão: João Mendes Rosa, Fernando Paulouro Neves, João Manuel Santos Costa, Pedro Salvado, Miguel Rainha, Luís Lourenço.
Organizou a excursão a Aldraba e durante os dois dias que durou, pudemos deliciar-nos com gastronomia bem servida e cozinhada, na Escola de Formação Profissional do Fundão, participámos num debate sobre a Imprensa Regional e vivenciámos um magusto com bombos, proporcionado pelo Grupo de Convívio e Amizade nas Donas.
Houve ainda algum tempo para dançar, ao som da música seleccionada por um dos jovens da colectividade, que sonha ser DJ, de percorrer a Barroca e Janeiro de Cima, de trazer saudades de um tão bom momento que a Associação do Espaço e Património Popular idealizou.
De "ÁGUAS DO SUL"
Postado por oasis dossonhos às 18:50 2 comentários
COMENTÁRIOS
Bichodeconta disse...
Que maravilha, até se fica de água na boca.. Lindas as fotos..um abraço,
ell
10 Dezembro, 2007 18:35
Fernando Pinto disse...
Gostei da sopinha e do fogo...Abraço, amigo Luís!
FMOP
14 Dezembro, 2007 12:18

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Colaboração de Isabel Aldinhas e Verónica Reis




Enquanto dezenas de associados da Aldraba viajam até ao Fundão, sábado 1 e domingo 2, no âmbito do X Encontro da Associação, alguns amigos, que têm respondido de forma muito simpática ao nosso apelo de colaboração para este blogue, passam a partir de hoje a ser presença festiva.
É o caso da pintora Isabel Aldinhas de Montemor-o-Novo, que nos enviou algumas imagens do património alentejano e da jovem enfermeira Verónica Reis, que viajando entre Constância e Marvão recolheu alguns instantâneos com batentes e aldrabas desses concelhos que o Tejo une/separa...
Legendas:
Foto 1- Moinhos de Arraiolos (Isabel Aldinhas)
Foto 2 - Batente de Constância (Verónica Reis)
Foto 3 - Pentalfa da Igreja de Santa Maria de Marvão (Verónica Reis)
A todos o nosso BEM HAJAM!
Texto: LFM
"A ALDRABA"

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

X Encontro da Aldraba: “As aldeias do xisto, a imprensa regional e a castanha”




O nosso X Encontro vai decorrer no Fundão, durante os próximos dias 1 e 2 de Dezembro de 2007 (sábado e domingo), centrado nas aldeias do xisto.

Organizado pela nossa Associação, conta com a colaboração da associação Pinus Verde, da colectividade Grupo de Convívio e Amizade nas Donas, dos órgãos de informação Jornal do Fundão, Notícias da Covilhã e Conversas de Café, e ainda do pelouro da cultura da C.M.Fundão e da Escola Profissional local.

Temos previsto um autocarro que partirá de Lisboa (Praça de Espanha) pelas 9.30h de sábado, 1.12, e nos trará de volta cerca das 18.30h de domingo, 2.12. No Fundão, há alojamento já reservado para a noite de sábado para domingo.

O almoço de sábado será servido, cerca das 13 h, pelos alunos de hotelaria da Escola Profissional do Fundão, após o que seguirá um encontro-tertúlia sobre a imprensa regional, com a participação dos directores dos três jornais já referidos, e uma visita ao Museu do Fundão.

Ao fim da tarde e noite de sábado, segue-se um magusto-convívio na sede do G.C.A.Donas, com animação, e diálogo com conhecedores da produção e dos usos ligados à castanha.

Na manhã de domingo, teremos a visita a duas aldeias do xisto do concelho (Barroca e Janeiro de Cima), e a algumas actividades artesanais da região (tecedeiras), terminando com um almoço típico no restaurante “Fiado”.

O preço estimado da participação no encontro será de 50 euros por associado (55 euros para não associados), com alojamento, refeições e transporte, e de 35 euros por associado (40 euros para não associados), sem alojamento e com refeições e transporte.

As inscrições para o encontro devem ser feitas telefonicamente, até ao dia 27 de Novembro (3ª feira), junto da Mª Eugénia Gomes (T:919647195) ou do António Brito (T:963804287).
De "ALDRABA DIGITAL"

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Outubro




Durante este mês não percam, dia 12, na R. Maestro António Taborda, 49, r/c, uma exposição de homenagem a Jorge Rua de Carvalho.
Outro Jorge de apelido Neves é homenageado todas as semanas às sextas e sábados na Rua do Possolo, 7, na revista à portuguesa "Todos Contentes nos Combatentes", dirigida por Flávio Silva, um jovem de 16 anos, com um elenco muito jovem.
Ainda na primeira quinzena, a colectividade onde a revista mencionada é apresentada, realiza um pic-nic na Tapada das Necessidades.

Pintura de Rodrigo Dias, foto e texto de LFM

De "ÁGUAS DO SUL"
Postado por oasis dossonhos às 00:37 0 comentários

sábado, 6 de outubro de 2007

Alvaiázere: o chícharo em festival















Até domingo é tempo de degustar o vinho da serra de Sicó e os sabores do chícharo, com carne, peixe, em tarte ou licor.

Ontem estive em Alvaiázere com o jornal "Conversas de Café", e o tempo foi escasso para ver de relance a exposição de artesanato e produtos da terra no Mercado, assistir ao concerto de Silvestre Fonseca, à actuação dos coros dos funcionários da CMAlvaiázere e do Ministério da Educação, e escutar maravilhado, entre outras, uma comunicação sobre a nova roda dos alimentos, muito bem apresentada e fundamentada, da autoria de uma professora local. Igualmente de uma investigadora do concelho, foi a comunicação seguinte, acerca da leguminosa que dá nome ao festival. Sala repleta, provando que quando o tema é aliciante e bem comunicado, o público acompanha com interesse os oradores, mesmo após um almoço bem regado.

Falaram também dois oradores externos, um deles o professor António Dores, do ISCTE, que se debruçou sobre o Kephir...

O jovem presidente da autarquia, com um sentido de humor e uma envolvência pouco comuns, apresentou o espectáculo, divertindo e divertindo-se, conferindo ao festival do Chícharo deste ano uma grandeza à escala humana que me apraz registar.

O convívio gastronómico foi outro momento alto, e ocorre-me sugerir que se faça qualquer coisa também em Alvaiázere, em torno da maravilhosa broa, que sabe a pão, ao contrário dos sucedâneos de pão que se embalam com chancelas e dúzias de conservantes e chegam a Lisboa sabendo a plástico...

Seria injusto não deixar outra palavra de apreço, desta feita para Guida Loureiro, pela exposição patente no Museu de Alvaiázere, recentemente inaugurado. Trata-se de Piano Fortíssimo, uma mostra de mais de uma dezena de pianos, correspondentes a performances de outros tantos artistas internacionais.

Pedro Barroso (“Chícharo-Mor”) e Guilherme de Melo participaram nas diversas iniciativas de ontem, tal como António Pinho, director do "Conversas de Café", Eduardo Ventura, empresário do restaurante "AlbaPólvora", e José Alberto Franco e Luís Maçarico, da Aldraba - Associação do Espaço e Património Popular.

De “ÁGUAS DO SUL”
Postado por oasis dossonhos às 17:37 2 comentários

COMENTÁRIOS
Ana disse...
Sempre a passear Luís! Fazes tu muito bem, vai continuando a contar-nos os teus percursos etnográficos!!Bjs Ana
06 Outubro, 2007 20:09
Guida Alves disse...
Com um novo visual, o "Chícharo" deste ano! Dá ideia de uma outra dinâmica e que daqui para a frente será sempre a melhorar. Nota curiosa: entre garrafas de refrigerante e um ou outro copo de vinho, uma "botelha" só para o Zé Alberto! Privilégios de Presidente? …
07 Outubro, 2007 16:41

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Notícias transumantes

















Na festa do ano passado, a Nádia e o Gonçalo disseram poemas meus na Capela do Leão, durante o lançamento do meu livro 15º de poesia que a Câmara Municipal do Fundão editou: "Ar Serrano" (mencionado nas páginas 55 e 124 da revista anual do Município).

Dois jovens que descobriram Alpedrinha através do meu olhar e que voltaram à Festa dos Chocalhos neste Setembro de 2007.

A Nádia que voltou em Novembro, com Eugénio de Andrade na mochila, trouxe nesta sua 3ª vez mais amigos. Comemos todos, os petiscos e a sopa da Maria dos Anjos na tasquinha que o Lourenço animou.

Acompanhou-nos em vários percursos, em algumas refeições e na taberninha da Dona Maria (maravilhosa ginja com elas!), o presidente da direcção da Aldraba, José Alberto Franco.

O rebanho tornou a descer a Gardunha pelo caminho romano. Os espectáculos e os desfiles sucederam-se e causou sensação "As Pifaradas do Álvaro", vindo de Unhais com os executantes vestidos com uma indumentária que lembrava romanos ou índios...

Foi giro ver o pequeno Miguel a acompanhar os Zabumbas. Os elementos do rancho folclórico da Casa do Povo local trouxeram memórias nos seus gestos e houve ainda vários gaiteiros, harmónicas de Ponte de Sor, o acordeonista Sertório, os Cotas Club (jazz).

Concertos de música clássica e uma conversa com a directora do Museu da Transumância de Abruzzo, em Itália enriqueceram o programa da Festa.

Mas o privilégio maior foram as conversas que tive com dois homens incontornáveis: o vereador da Cultura Paulo Fernandes, que está atento à requalificação do Palácio do Picadeiro, e o pastor Lopes, cujos terrenos que possui comprou com trabalho e honra no tempo em que a palavra tinha valor.

Nota curiosa: ninguém de Alpedrinha participou na descida da serra e aqueles que vieram do Fundão, ao chegarem à vila que a marquesa de Alorna apelidou de "Sintra da Beira", meteram-se numa camioneta e regressaram à origem.

Texto e fotos de LFM

De “ÁGUAS DO SUL”
Postado por oasis dossonhos às 21:33 1 comentários

COMENTÁRIOS
Estórias bem sonhadas disse...
E mais uma vez...Como foi bom lá estar!...
Obrigada por tudo!
Nádia
03 Outubro, 2007 20:23

domingo, 23 de setembro de 2007

Festa dos Chocalhos 2007











Sábado voltei a Alpedrinha após um interregno de muitos meses.

Uma vez mais cumpriu-se o calendário e a festa reinventada que é que é a Festa dos Chocalhos, atraiu desta feita largas dezenas de milhar de visitantes.

Este ano houve algumas novidades: uma exposição de penicos e clisteres, o grupo do Paúl Toc'Avakalhar.

Foi tempo de rever amigos e percorrer os recanto da terra, com mais gente que nunca lá tinha ido.

E de considerar que o evento terá de sofrer alterações para o ano, para não perder o espírito festivo e original que o projectou além Gardunha.

Fotos e texto: LFM

De “ÁGUAS DO SUL”
Postado por oasis dossonhos às 23:15 1 comentários

COMENTÁRIOS
Ana disse...
Sempre uma boa ocasião para voltar e viver essas festividades tão etnográficas! BjsAna
24 Setembro, 2007 22:47